Destaques da Semana

destaque »

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) renovou o Programa BNDES de Apoio a Investimentos em Design, Moda e Fortalecimento de Marcas (BNDES Prodesign). Com adição de R$ 1 bilhão ao seu orçamento, o programa foi prorrogado até 31 de dezembro de 2016, sob novas condições.
A medida se deve à demanda por recursos, que tende a superar a atual dotação orçamentária, de R$ 500 milhões, antes do fim do prazo de vigência do programa, marcado inicialmente para 31 de dezembro de 2015.
O BNDES Prodesign apoia investimentos em design, …

destaque »

Os investidores estrangeiros podem encontrar no Brasil um ambiente de segurança jurídica, de respeito aos contratos e de previsibilidade para aplicar seus recursos e participar de projetos de infraestrutura. Essa foi a mensagem da presidenta Dilma Rousseff a um grupo de executivos brasileiros e norte-americanos, no encerramento da Cúpula Empresarial Brasil-Estados Unidos em 30 de junho.
“O Brasil é uma opção segura e atraente, oferecendo grandes oportunidades empresariais, abertura aos investimentos, ambiente de negócios sofisticado e respeito às leis e aos contratos”, afirmou Dilma, em seu último compromisso em Washington, durante …

destaque »

Foi relançada em abril, em Brasília (DF), a Frente Parlamentar Mista para o Desenvolvimento do Setor Têxtil e de Confecção JOSE ALENCAR. A Frente tem a missão de dar rápido encaminhamento a pleitos considerados urgentes pelos empresários e trabalhadores do setor têxtil e de confecção. Trata-se da terceira formação da Frente Têxtil, que conta com 239 parlamentares. O deputado federal Henrique Fontana (PT /RS) foi reconduzido à coordenação do grupo que, até 2018, irá trabalhar em defesa da indústria da moda no Congresso Nacional e junto às autoridades do executivo …

destaque »

Aprovado em 22 de abril pela Câmara dos Deputados, o projeto de lei da terceirização (PL 4330/04) segue para a apreciação do Senado, onde deverá passar por aprovação nas comissões antes de ser votado. Se houver alguma modificação no Senado, o projeto volta para a Câmara. Se for aprovado no Senado, vai para a sanção presidencial.
A terceirização é defendida pelo setor empresarial, que afirma que a lei acabará com a insegurança jurídica na contratação de terceirizados e aumentará a competitividade das companhias. Os sindicatos, no entanto, enxergam no projeto um …