Início Feiras Varejo de moda avança no combate ao trabalho análogo ao escravo

Varejo de moda avança no combate ao trabalho análogo ao escravo

Importante debate acerca do tema foi realizado no I Simpósio Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo, promovido pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania

Programa de Certificação de Fornecedores-ABVTEX, uma iniciativa da ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) e dos varejistas de moda associados à entidade de combate ao uso do trabalho análogo ao escravo na cadeia de fornecimento, foi um dos destaques do I Simpósio Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo, realizado hoje (27), pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, por meio do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas – NEPT, e da Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo – COETRAE/SP.

O objetivo do evento foi debater os avanços, perspectivas e desafios para a erradicação do trabalho escravo no Brasil, integrando a Semana Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo, que termina sábado, 28, data em que se comemora o “Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo”.

Edmundo Lima, diretor executivo da ABVTEX, apresentou os resultados do Programa, lançado em 2010, e reconhecido como um importante esforço setorial com o objetivo de ajudar as empresas signatárias a monitorar e qualificar, de maneira estruturada e integrada, a cadeia de fornecedores e subcontratados. No painel “Moda e sustentabilidade: o Selo ABVTEX como fator de transformação do setor de confecções na melhoria das condições de trabalho” foram abordados os resultados quantitativos e qualitativos dos seis anos do Programa.

A ABVTEX revelou números que impressionam pela magnitude. Em 2016, foram 4.112 empresas certificadas, sendo 1.194 fornecedores e 2.918 subcontratados. Estas empresas certificadas são originárias de 681 municípios, em 18 Estados, e representam mais de 277 mil trabalhadores diretos na produção. Desde 2010, a ABVTEX registrou um total de 19.718 auditorias realizadas. Somente em 2016, foram realizadas 5.005 auditorias.

“Este é um esforço conjunto da ABVTEX e de seus associados para promover o fornecimento responsável na cadeia de produtos de moda do País. A cadeia de confecções no Brasil é uma das mais complexas no mundo, já que envolve 30 mil empresas, sendo que 97% são micro e pequenas empresas com até 99 funcionários e que produzem mais de 6 bilhões de peças/ano”, afirmou Lima. 

A iniciativa da ABVTEX vem criando um novo ambiente nos aspectos de sustentabilidade e responsabilidade social entre o varejo e seus fornecedores, em benefício de toda a cadeia formada pelas redes de varejo, fornecedores e um consumidor cada vez mais consciente e preocupado com a forma com que são produzidas as peças de roupa e calçados que utiliza.

Do ponto de vista das confecções e oficinas certificadas, o Programa promove, segundo pesquisa realizada pela ABVTEX, a mitigação de riscos de passivos trabalhistas; melhoria no ambiente de trabalho e redução de acidentes, o que diminui o absenteísmo; e maior motivação e retenção de trabalhadores.

Os empresários da indústria de confecção observam que o aumento de produtividade e qualidade de produto garante o retorno positivo dos investimentos para a certificação; percebem avanços significativos e fundamentais para a sustentabilidade dos seus negócios; e melhoria no relacionamento com os varejistas. A maioria reconhece os valores atrelados à iniciativa do varejo e afirma que recomenda a certificação a outras empresas do setor.

A ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) reúne as mais representativas redes de varejo nacionais e internacionais, representando 50 marcas, que comercializam vestuário, calçados, bolsas e acessórios de moda, além de cama, mesa e banho.

Compartilhar